quarta-feira, 3 de maio de 2017

Falando um pouco sobre empatia. E se você não sabe o que é isso, fecha a aba do navegador e vai estudar.

Eu sou muito empática.
Sempre fui.
Virei esquerdista quando percebi que existiam pessoas que trabalhavam em dias de descanso.

Chorava de pensar em motoristas de ônibus ou frentistas trabalhando no Natal, com filhos esperando em casa.

Chorava de ver gente na feira, comprando pouco porque o dinheiro não dava.

Queria que existisse igualdade. Não era justo eu poder ir à um restaurante e outros não poderem; pior, porque eu, ao ir à um restaurante, tinha que ser "servida"? Morria de vergonha disso. Quem era eu, na fila do pão, para ser servida? Era mais que o garçon?
Eu morava em uma boa casa, tinha cobertores, comida e brinquedos, e via quantos não tinham, e aquilo me arrasava por dentro.

Daí veio a minha educação com pessoas que nos prestam serviços.
Sempre odiei gente que fala "não agradeço motorista de ônibus, frentista, garçon... eles são pagos pra me servir". Eu agradeço à todos. Qualquer informação que me dão, eu agradeço. Qualquer serviço que me prestam, eu agradeço, seja grande ou pequeno. Mesmo se feito de má vontade, agradeço - também de má vontade.

Com o tempo eu entendi que igualdade social só existe na cabeça das pessoas. Não existe igualdade social quando existem políticos na jogada.

Mas a empatia continuou. Não me sinto mais culpada quando sou atendida por alguém me prestando um serviço, em compensação sinto muita tristeza com desafortunados que perderam suas coisas em tragédias, ou perderam entes amados, ou animais de estimação, enfim...

Talvez minha empatia dependa da minha situação atual, não sei.

Por exemplo, eu não gosto de criança. Quando eu via uma notícia tipo "fulano matou uma criança" ou "espancou uma criança", eu sentia a raiva normal que a gente sente por esse tipo de atrocidade contra a espécie, afinal somos todos humanos.

Mas depois que eu tive a Carol, essa empatia cresceu e se tornou maior que eu.
Antes eu achava que quem comete um delito contra uma criança tinha que ser preso, hoje eu acho que tinha que ser morto.

Assistir vídeos de pais batendo em filhos, ver crianças na rua pedindo comida, ver mulheres pedindo dinheiro alegando que precisam comprar leite pros filhos, ver filmes em que a criança morre, enfim... Tudo isso me faz sentir um peso medonho de consciência, eu já imagino a Carolina, já penso em N coisas e pronto, fico triste, chateada.

Ver notícias como a dessa semana, em que uma pastora evangélica convenceu vários pais a trancafiarem e isolarem seus filhos (um casal até deu o bebê deles pra adoção) me enche o coração de ódio, a ponto de desejar que o Estado Islãmico venha e detone umas bombas nas igrejas do Brasil.

Assistir Stranger Things foi especialmente doloroso, por causa da situação da 11, do desespero da Joyce e da situação do Delegado Hopper, perder a filha pequena de câncer.

Ser mãe também nos causa empatia.
Perder alguém nos causa empatia.
De uns anos pra cá eu, que sempre fui chorona, piorei... rsss
Só não tenho dó de político.
Graças a Deus.

quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

Sonho estranho e diferente com uma gang de crianças carentes, um grupo de homens desconhecidos, uma viagem à Rússia sendo ciceronada por um deles: um russo Alto, lindo, que falava português muito bem mas com um sotaque forte e que comparava a namorada dele com uma zibelina.
Odiei acordar antes de conhecer os pontos turísticos.

segunda-feira, 3 de outubro de 2016

Conversando com uma amiga outro dia eu lembrei de alguns livros que eu tive e que doei - pra alguém, nem sei mais quem.

Mas foram livros que eu namorei durante anos e fizeram parte da minha infância, e merecem ser homenageados aqui.




Quem sabe um dia eu consigo comprá-los de novo... 

segunda-feira, 26 de setembro de 2016

Um ano se passou, e a dor não diminuiu, nem a saudade cedeu.
Eu continuo com a mesma dor de antes.
O que diminuiu foram as frequências do choro, eu começo e logo paro, porque sei que essa saudade atroz não faz bem à ela.

É uma dor fina, constante.

A mesma de 1 ano atrás.
A mesma que eu senti quando percebi que ela estava sofrendo aqui comigo, e disse: vai. pode ir, eu vou ficar bem.

Não tenho muito o que falar. Não gosto de "aniversários de morte".

quarta-feira, 21 de setembro de 2016

Quando eu estava grávida, ficávamos, eu e minha mãe, buscando em páginas de nomes de bebês, possíveis escolhas para a criança que nasceria.

Na maioria das vezes ríamos tanto das opções que chegávamos a chorar.
Eram tantos nomes estranhos, exóticos e diferentes que só podíamos levar aquilo na brincadeira.
Antes de sabermos o sexo da criança, era comum eu ir lendo os nomes e ela, sentada no sofá, ouvindo e dando palpites e rindo comigo. Íamos dormir de madrugada, rindo ainda.

No fundo, no fundo mesmo, acho que tive sorte da Carol ser menina, porque, no final, não foi difícil escolher seu nome.
Eu gostava de Ana (e suas variações, como essa de 2 N's), Fabio gostava de Carolina, pronto.
Minha mãe queria Ana Amélia, em homenagem à minha avó materna. Eu pensava na possibilidade de batizá-la de Mafalda, em homenagem á minha avó paterna, mas ambos os nomes eram bem antigos. Não se vê nenhuma criança hoje, chamada Mafalda, ou Amélia. Pensei também em Rosa Maria, nome de uma falecida tia minha que eu não cheguei a conhecer, mas Anna acabou ganhando.

A outra opção era Éowyn, mas ia ser muita sacanagem com a criança, pela pronuncia e pela escrita, então ficou Anna Carolina mesmo. Claro que vimos muitos outros, mas nenhum tão marcante que tenha ficado gravado à ponto de ser lembrado. Eram apenas brincadeira.

Mas se fosse menino, ele estaria sendo chamado de "psiu" até hoje, porque eu nunca cheguei à conclusão de como um filho meu chamaria.

As opções eram tantas e tão variadas que chegava a ser insano.

A mais provável era Felipe, por causa do significado, mas tem tantos Felipes que na mesma faixa etária que eu ia acabar desistindo. Tenho muitas conhecidas cujos filhos se chamam Felipe. Poderia chama-lo de Philip, mas ia dar na mesma.

Bruce era a segunda alternativa, e ao contrário do que os amigos pensam, por causa de Robert The Bruce, não Bruce Wayne. Descartei Wallace logo, por ser mais sobrenome do que nome em si, afinal o nome que eu queria era William Wallace, e eu não gosto muito de William.
Luke seria outra provável escolha e sim, por causa do Skywalker. Anakin, não.

Randall é incomum demais, mas era uma das opções, vinda do filme 60 segundos.

Nathan eu adoro e com certeza batizaria meu filho fácil, até ouvir uma mulher gritando, ao passar na frente de sua casa: "Natãn fecha o portão". A pronuncia não é essa (e sim NAY-thən) mas era disso que ele seria chamado aqui no Brasil, e isso encerrou definitivamente essa escolha.

Yuri é russo, mas apesar disso tem um japonês por aqui com esse nome e ninguém entendeu "porque eu queria batizar meu filho com um nome nipônico". Outras variantes russas seriam Grigory (mas como eu tive um cachorro com esse nome ia ficar estranho), Ilya (soa feminino), Nikolai, Vasili, todos exóticos demais.

Aí me falaram "coloca um nome bíblico", e não, eu não pensei em Lúcifer nem Belial, mas sim em Abraham, Ariel, Jethro, Nathaniel, Baltazar...

David iam acabar chamando o moleque de Dê, ou Daví. Jareth ninguém ia conseguir pronunciar nem entender a homenagem ao personagem do filme Labirinto.

Descartados muito cedo: Théoden, Thorin, Uther, Leônidas, Aquiles, Isildur, Anton, Christian ou Christopher (muitos H's), Maximillian, Maximus, Beowulf, Constantin, Alexius, Petros, Aramis, Fausto, Oberon, Percival, Thor e Orpheu.

Enfim, deu pra perceber que a dúvida era monstruosa, mas aí, veio menina...
Acho que Deus pensou "essa criança não pode ficar sem nome, se for menina, pelo menos já tá escolhido" ou algo do gênero...

terça-feira, 6 de setembro de 2016

Carol está com escarlatina.
Pior que eu passei pra ela.
Tive amigdalite, ela pegou a bactéria e desenvolveu a escarlatina.
Tomou sua primeira benzetacil...

sábado, 27 de agosto de 2016

Moça Bonita - Angela Maria

Uma rosa cor de sangue
Cintila em sua mão
Um sorriso que nas sombras
Não diz nem sim, nem não

Põe na boca cigarrilha
E mais acende o olhar
Que conhece o bem e o mal
De quem quiser amar...

De vermelho e negro vestindo a noite o mistério trás
De colar de cor de brinco dourado a promessa faz
Se é preciso ir você pode ir peça o que quiser
Mas, cuidado amigo ela é bonita
Ela é mulher
Mas, cuidado amigo ela é bonita
Ela é mulher

E nos cantos da rua
Zombando, zombando, zombando está
Ela é Moça Bonita
Girando, girando, girando lá

E nos cantos da rua
Zombando, zombando, zombando está
Ela é Moça Bonita
Girando, girando, girando lá

Oi girando lároiê
Oi girando lároiê
Oi girando lároiê
Oi girando lá...

De vermelho e negro vestindo a noite o mistério trás
De colar de cor de brinco dourado a promessa faz
Se é preciso ir você pode ir peça o que quiser
Mas, cuidado amigo ela é bonita
Ela é mulher
Mas, cuidado amigo ela é bonita
Ela é mulher

E nos cantos da rua
Zombando, zombando, zombando está
Ela é Moça Bonita
Girando, girando, girando lá

E nos cantos da rua
Zombando, zombando, zombando está
Ela é Moça Bonita
Girando, girando, girando lá

Oi girando lároiê
Oi girando lároiê
Oi girando lároiê
Oi girando lá...

E nos cantos da rua
Zombando, zombando, zombando está
Ela é Moça Bonita
Girando, girando, girando lá

E nos cantos da rua
Zombando, zombando, zombando está
Ela é Moça Bonita
Girando, girando, girando lá

Oi girando lároiê
Oi girando lároiê
Oi girando lároiê
Oi girando lá...

domingo, 7 de agosto de 2016

Eu acompanho a carreira da Xuxa à muitos anos.
Não exatamente por querer, mas ela foi uma parte importante na minha infância, afinal, apresentava os programas infantis que eu mais gostava de assistir, por causa dos muitos desenhos.

Ela começou na extinta Manchete, com o Clube da Criança, e em toda a sua época, passou muito, mas muito desenho japonês (que eu adoro) fora os tradicionais Hannah Barbera.
Depois ela foi pro Xou da Xuxa, e ficou anos e anos apresentando mais uma pancada de desenhos que eu adorava, competindo com a eterna programação matinal do SBT, que eu também adorava.

Um dia, Xou da Xuxa acabou (o programa de despedida foi muito triste) e colocaram a TV Colosso (onde o melhor era o Roberval, o ladrão de chocolate), e a Xuxa partiu para campos mais verdes, ou seja, tentou fazer outros programas.

Não sei o que ela fez nesse período, não acompanhei, mas sei que seus programas duraram pouco e foram fiasco de audiência.
Soube, pela mídia, de seu namoro com Ayrton Senna, depois com Luciano Szafir, com quem teve uma filha, Sasha.

Acompanhei com decepção sua incursão pelo Twitter, e enfim, um dia soube que ela havia sido dispensada pela Globo.

Ela foi pra Record. A própria propaganda dela entrando na Record foi hilária.

E lá, não sei... Ela liberou a zuera que sempre deve ter existido dentro dela, se ela não fosse obrigada a ser certinha e politicamente correta o tempo todo.

O melhor pra mim é esse, do Porta dos Fundos:


Mas depois de ver esse abaixo, confesso que definitivamente a mulher é da zuera:





Xuxa, anjo, voltei a te amar...

segunda-feira, 25 de julho de 2016

O facebook é cheio de "brincadeiras", tipo "poste 7 fotos de animais em 7 dias" ou "poste 10 coisas que você gosta em 10 dias", etc. Algumas são bem legais, outras tolas. Em algumas eu entro, outras não.

A mais recente é essa, e eu participei e gostei muito.

Eu coloco a minha idade e o dono do perfil que fez a postagem inicial me fala a idade que eu deveria postar e a quantidade de conselhos.
Então, a Cecília me deu 25 anos, e 25 conselhos.

Achei bem legal e resolvi copiar aqui:

25 conselhos para a Maetê de 25 anos:

1. Você acabou de conhecer a internet. Ela vai dominar o mundo nos próximos anos. Surgirão mídias sociais, que são como grandes chats de bate papo. Todos esses amigos que estão na sua festa de 25 anos? A maioria vai sumir.
2. Em breve (e por causa da internet) você vai conhecer uma galera muito legal, mas também vai conhecer muita gente calhorda. Faz parte. Aprenda a separar o joio do trigo pra se estressar menos.
3. No meio dessa galera vai vir um cara que você vai gostar muito, mas que vai te tratar feito lixo, fazendo você ficar depressiva e entrando num tratamento pra depressão que vai ser doloroso. E depois dele vem outro, que vai te fazer voltar a ficar depressiva. Vai doer. Mas dor de amor não mata. Você vai sofrer, em ambos os casos, mas sem isso você jamais vai aprender a levantar sua auto estima. Encare como um remédio ruim que precisa ser tomado.
4. A depressão vai te fazer desistir das exposições caninas e te fazer entrar em descaso com seus cães. Não deixe isso acontecer. Eles não pediram para estar ali. Eles não tem culpa do que vai acontecer.
5. Sociedades são ruins. Fazem a gente perder dinheiro e amigos. Não faça sociedades comerciais com NINGUÉM. Todas as sociedades que você teve trouxeram MUITO prejuízo financeiro e fizeram você perder muita grana e amizades. A única que deu certo foi a sociedade com a moça dos dobermanns (e sim, ela vai continuar te ligando de madrugada).
6. Em pouco tempo vai surgir uma doença endêmica na região chamada leishmaniose. Ela sempre existiu, mas não era alardeada. Vai ser um caos, vão matar cães, farão uma inquisição canina. USE CITRONELA. Você vai ter mais da metade do seu plantel contaminado, vai ter que sacrificar adultos e filhotes. Vai surgir uma vacina caríssima, mas a melhor prevenção é a CITRONELA. Spray, ao anoitecer. Todos os dias, religiosamente. Nunca esqueça.
7. Castre os poodles e as pinschers. Vieram de criações caseiras de fundo de quintal. Todos eles tem algum problema. Não perca seu tempo tentando reproduzi-los, você não vai conseguir nada ali.
8. Aplique seu dinheiro em imóveis. Os bancos não são uma boa opção, nem ouro. Imóveis. O país vai entrar em crise e caos. Aplique em algo durável.
9. Eu sei que não vai adiantar falar e você vai votar nele mesmo assim, mas acredite em alguém que está vivendo seu futuro: Lula é um calhorda. Não acredite em suas promessas, ele não vai fazer NADA pra arrumar as merdas que o FHC está fazendo. Pior ainda, vai deixar o Brasil mais burro do que nunca, pois NÃO VAI voltar atrás nesse sistema de ensino absurdo chamado "progressão continuada", vai mentir falando que pagou a dívida externa e vai montar o maior esquema de corrupção que esse país já viu. A saúde vai entrar em colapso (continue pagando a Unimed), a economia vai ficar bem até entrar sua sucessora (que você, já mais esperta, não vai ajudar a eleger) e muitos comércios fecharão. Guarde dinheiro.
10. Em 2006 você vai conhecer um cara legal e vai ficar com ele. Então esqueça a "teoria da frigideira".
11. Pode operar sua miopia, mas você não vai se adaptar sem os óculos e vai voltar a usá-los, fazendo, finalmente, as pazes com eles.
12. Sua cirurgia bariátrica só vai resolver seu problema até certo ponto. Se você não parar de comer carboidratos e tomar coca-cola, vai continuar gorda. Não é um procedimento milagroso, então NÃO TOME AQUELE COPINHO DE LEITE BATIDO, vai te fazer dar um nó no intestino, você vai voltar pra mesa de operação e vai abrir uma hérnia enorme.
13. Eu sei que fazer a faculdade de letras foi um sonho realizado, mas você não vai conseguir dar aulas pra essa geração de trombadinhas e filhotes de capiroto que estão aí hoje, vindos de um sistema educacional falido e sem noção de boas maneiras aprendidos em casa. Sua vocação é pra alunos que respeitavam a instituição e os professores.
14. Preste atenção, pois esse é o conselho mais importante que eu vou te dar, e não quis que fosse o primeiro pra não causar tanto impacto. Em 2011 vai nascer sua filha, e 21 dias depois sua mãe vai ter um AVC, passando os próximos quase 5 anos numa cama, imóvel, sem conseguir falar, dependente totalmente dos outros. Talvez você não possa evitar algo que tem que acontecer, mas pode prevenir ou retardar, então insista com sua mãe para consultar um médico vascular. A pressão dela vai ficar constantemente alta, e ela vai fazer pouco caso disso como sempre, vai falar que "depois que o nenê nascer eu vejo isso", não deixe. Arraste-a à um médico vascular. Seja grossa e mal educada, faça chantagem emocional. Se ela ameaçar você, ignore e continue a chantagem. Você nunca vai se arrepender dessa decisão. Quase tudo que eu disser daqui pra frente é baseado no tempo que sua mãe ficará de cama, caso você não consiga evitar/retardar esse acontecimento.
15. Por causa do nervoso e da ansiedade, você vai ficar viciada em coca (cola - ainda mais). Tente controlar isso. Em certas épocas, você chegará a beber 2 litros em um dia. Nem preciso dizer o quanto faz mal, né?
16. Não se sinta culpada por não gostar de crianças e colocar uma no mundo. Isso vai passar. Não, você não vai aprender a gostar de crianças, mas vai amar sua filha incondicionalmente, mesmo que inicialmente ache que não. E não se preocupe, você vai ser uma boa mãe.
17. Continue só com a sorveteria. Propostas milagrosas não caem do céu. Não confie em propostas de sociedade, não deixe jogarem areia nos seus olhos. Volte ao item 5.
18. Você vai passar uma crise brava com o Fabio em 2014. Ela pode ser amenizada se você não der a sibutramina pra ele.
19. Aprenda com seus erros. Continue insistindo com o Fabio pra ele ir ao médico e se cuidar. Ameace-o se for preciso.
20. Muitos "amigos" sumirão da sua vida quando você entrar nessa crise. Console-se. Não eram amigos. Os melhores permanecerão. Os que sumiram da sua vida não valem a pena.
21. Continue com seu carro, ou compre outro, mas não entre em nenhum financiamento.
22. Não pegue grana emprestada, nem com o banco, nem com ninguém. NINGUÉM! Volte ao item 5.
23. Trabalhe a perda. Você vai passar os próximos 4 anos chorando e implorando pra sua mãe ficar com você. Não espere ela realmente piorar pra trabalhar esse sentimento, ela vai embora, e NADA do que você fizer vai mudar isso.
24. Depois que ela se for, você vai sentir, além da saudade devastadora dela, uma saudade imensa da sua família que já se foi. Sim, em alguns momentos o sentimento de solidão será assustador, mas você não estará tão sozinha quanto imagina.
25. Essa crise servirá para você descobrir quão forte você é. Algumas pessoas dependerão de você e isso vai fazer você ser forte. Não se engane. Sua capacidade de superar obstáculos e se manter firme ficarão maiores a cada dia.